IX Congresso Brasileiro e VII Congresso Internacional da Sociedade Nacional de Fisioterapia Esportiva e da Atividade Física

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Efeitos de um treinamento do método Pilates na força do CORE de indivíduos saudáveis: um ensaio clínico randomizado

Resumo (máximo 3000 caracteres com espaço)

Introdução: O método Pilates, criado pelo alemão Joseph Pilates, é um conjunto de exercícios que proporciona diversos benefícios, dentre eles, o fortalecimento dos músculos profundos do abdômen ou também denominado, músculos do CORE. Esse grupo de músculos tem como função principal manter o equilíbrio pélvico e proporcionar estabilidade a coluna vertebral. A inibição, ou fraqueza do CORE fundamenta desequilíbrios osteomusculares, podendo gerar algumas disfunções.Portanto, o fortalecimento desse grupo muscular, obtido por meio do método Pilates, pode ser útil na prevenção de disfunções na região lombar além de auxiliar a postura adequada durante a realização de um exercício ou técnica efetuada pelo atleta. Objetivo:avaliar a eficácia do método Pilates em 12 semanas de treinamento sobre a melhora da força da musculatura do CORE em indivíduos saudáveis. Métodos: 57 homens saudáveis com média de idade 26,79 ± 4,36 foram randomizados entre o grupo Pilates (GP) e o grupo controle (GC). O GP recebeu o treinamento do método por 12 semanas, três vezes por semana, enquanto o GC manteve sem alterações de suas atividades diárias. Para avaliação da força do CORE e análise estatística, foram utilizados os tempos de permanência nas posições de prancha frontal e lateral, antes e após o treinamento. Para análise dos resultados em segundos, foi realizado a ANOVA para medidas repetidas com pós-teste de Bonferroni. O teste de Mauchly’s e a correção de Greenhouse-Geisser foi utilizada quando a esfericidade fosseviolada. Foi considerado significante p<0,05.Resultados: o treinamento do método Pilates promoveu aumento significante no tempo de manutenção da posição em prancha frontal para grupos (p=0,003) e em momentos (p=0,000), ambos com tamanho de efeito grande, comparado ao GC. As médias seguidas dos respectivos desvios padrão dos grupos foram; GP: pré = 121,56± 61,31, pós = 169,87 ± 41,42; GC: pré = 103,94± 49,52, pós = 123,65 ± 46,16. Na prancha lateral direita, foi observada diferença estatisticamente significante em momentos (p=0,000) para ambos os grupos,com tamanho de efeito grande e para a interação momentos versus grupos (p=0,007) com tamanho de efeito moderado.As médias e os desvios padrão foram; GP: pré = 64,57± 24,57, pós = 92,99 ± 23,71; GC: pré = 66,47± 30,14, pós = 73,64 ± 14,38. Para a prancha lateral esquerda, também foi observada diferença estatisticamente significante para o GP em momentos (p=0,004)com tamanho de efeito grande e na interação momentos versus grupos(p=0,014) com tamanho de efeito moderado.As médias e os desvios padrão foram;GP: pré = 68,52± 28,54, pós = 89,46 ± 17,79; GC: pré = 70,05± 24,35, pós = 71,68± 18,81. Foi observada diferença estatisticamente significante para os valores do Delta do GP e GC, para a prancha lateral direita(p=0,0068) e prancha lateral esquerda (p=0,0138). Conclusão: o método Pilates aumentou a força da musculatura do CORE de indivíduos saudáveis.

Palavras-chave (máximo 3)

Métodos do Pilates, exercício físico, força muscular.

Área

Prevenção

Autores

Maíra Sgobbi de Faria, Abner Moscatelli Maurício, Allysiê Priscilla de Souza Cavina, Rafael Moreira de Castro Pereira Perez Espinoza, Taíse Mendes Biral, Franciele Marques Vanderlei