IX Congresso Brasileiro e VII Congresso Internacional da Sociedade Nacional de Fisioterapia Esportiva e da Atividade Física

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Correlação entre a prevalência de lesões e o treinamento de atletas de Jiu-Jitsu nas modalidades Gi e No Gi

Resumo (máximo 3000 caracteres com espaço)

Introdução: No Jiu-Jitsu muitos indivíduos sofrem lesões severas com mais frequências que outros. Entretanto ninguém é poupado de dor ou incapacidade provocada pela lesão. Junto a isso, vem o dano biopsicossocial imprescindível, assim como a diminuição ou perda da função normal Na literatura científica a vários estudos que identifiquem as principais lesões e locais acometidos, seus mecanismos de lesão e o tempo de experiência desses atletas, apesar destas iniciativas científicas outros aspectos ainda não foram investigados como o treinamento influência na prevalência de lesão por modalidade Gi (com kimono) e No Gi (sem kimono). Objetivo: Avaliar a correlação entre a prevalência de lesões e o treinamento de atletas de Jiu-Jitsu nas modalidades Gi e No Gi. Métodos: Métodos: Trata-se de um estudo epidemiológico transversal observacional, que seguiu as recomendações internacionais da Strengthening the Reportinf of Observational Studies in Epidemiology – Strobe Statemet. O estudo foi realizado pelo Laboratório de Análise Biomecânica, Reabilitação Esportiva e Musculoesquelética (LABREME) do Centro Universitário Tiradentes – Maceió/Alagoas. Para calcular o tamanho amostral, tamanho estimado da população de atletas filiados a Liga Alagoana de Jiu-jitsu. Os participantes foram convidados via e-mail e abordados antes do início das competições e treinos, de maneira individualizada. O questionário da presente pesquisa foi criado buscando contemplar todos os aspectos relacionados às lesões e o treinamento dos atletas de Jiu-Jitsu. A análise estatística foi conduzida com base no teste de correlação linear de Pearson (r), o coeficiente de determinância (R2) e Coeficiente de regressão logística, a um nível de significância de 5% e processado por meio do software JASP 9.2.0. Resultados: O presente estudo foi composto por uma amostra de 111 atletas de Jiu-Jitsu, de ambos os sexos, com idade entre de 18 a 45 anos. A maioria das lesões ocorreram na modalidade Gi (n=64; 75%) durante os treinamentos. Entretanto não houve correlação entre a modalidade e a maior prevalência de lesões durante os treinamentos (p= 0,569). Do mesmo modo que não houve correlação entre as lesões e o tempo de prática do jiu-jitsu (p=0,981). Quando indagados a respeito da prevalência de lesões em decorrência do aumento de intensidade e ou volume de treinamento 61,7% (n= 50) atribuíram a ocorrência de suas lesões por esse motivo. Apresentando uma correlação fraca entre essas duas variáveis (r Pearson= 0,33; p< 0,001). Bem como, horas de treinamento por dia apresentou uma correlação moderada com a prevalência de lesões (r Pearson= 0,405; p<0,001). Conclusão: A modalidade Gi é a que proporciona maior prevalência de lesões no Jiu-Jitsu, sendo atribuídas ao aumento de intensidade e ou volume de treinamento.

Palavras-chave (máximo 3)

Arte marcial, lesão, treinamento

Área

Epidemiologia

Autores

Loislene Oliveira Santos, Rafaela Maria Silva, Wedja Alves Cândido Araújo, Eliziane Oliveira Silva, Cassius Iury Anselmo Silva, Natanael Teixeira Alves Sousa