IX Congresso Brasileiro e VII Congresso Internacional da Sociedade Nacional de Fisioterapia Esportiva e da Atividade Física

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Assimetria contralateral e o equilíbrio convencional entre extensores e flexores de joelho em atletas de futebol de base

Resumo (máximo 3000 caracteres com espaço)

Introdução: A assimetria contralateral e o equilíbrio convencional entre extensores e flexores de joelho em atletas de futebol são medidas de avaliação quantitativa utilizadas para avaliação da função muscular. Estudos recentes evidenciaram valores de até 10% para a assimetria contralateral e valores entre 50 e 70% para o equilíbrio convencional como dados normativos para atletas. Entretanto, para atletas em formação essas características ainda precisam ser melhor exploradas. Objetivos: Avaliar a assimetria contralateral e equilíbrio convencional de extensores e flexores de joelho em atletas de futebol de base. Métodos: Estudo transversal com atletas de futebol de base de um clube profissional. Foram considerados elegíveis para participar do estudo todos os que apresentavam amplitude de movimento de flexão e extensão completa de joelho e sem quaisquer lesões ou acometimentos que limitassem a avaliação. Os atletas foram avaliados nos seguintes desfechos: (1) características pessoais; (2) características esportivas; (3) função muscular pelo pico de torque no dinamômetro isocinético Biodex Medical Systems Inc. (sentado na cadeira com 90˚ de quadril e joelho, sendo fixado por tiras na região do tronco, cintura e fêmur distal no membro a ser testado; amplitude de movimento disponível, 0° a 100°, e o teste só seria finalizado após comando do avaliador). Foram realizadas duas repetições para familiarização com o aparelho e logo em seguida o teste foi iniciado. A velocidade foi de 60˚/s, com correção da gravidade e sendo realizada uma série com cinco repetições, iniciando com o membro inferior (MI) dominante. Análise de dados: O equilíbrio muscular entre os membros foi calculado pelo índice de assimetria entre membros (IAM) – [(PTC extensores ou flexores não dominante/PTC extensores ou flexores dominante) x 100] – 100, e o equilíbrio convencional por meio da relação flexores/extensores - (PTC flexores dominante ou não dominante/PTC extensores dominante ou não dominante) x 100. Resultados: Foram avaliados 117 atletas com média de idade de 17,1±1,7 anos, massa corporal 68,9±9,8 Kg e altura 177,1±9 cm, sendo 83 (79,9%) atletas com dominância em MI direito e 34 (29,1%) atletas com dominância em MI esquerdo, tempo de prática de 9,3±2 anos, com carga horária de treinamento semanal de 13,4±1 horas, 28 (23,9%) eram atacantes, 39 (33,3%) meio-campistas, 14 (12%) laterais, 20 (17,1%) zagueiros e 16 (13,7%) goleiros. O IAM obtido por meio da avaliação isocinética resultou valores de 1,27±11,1% para extensores e 6,08±11,32% para flexores de joelho. Já o equilíbrio convencional entre os membros foi de 66,11±8,3% para o MI dominante e 61,33±8,17% para o MI não dominante. Conclusão: Foi possível identificar nesta amostra valores de 1,27±11,1% e 6,08±11,32% para assimetria contralateral de extensores e flexores de joelho, respectivamente. Já os valores de equilíbrio convencional corresponderam a 66,11±8,3% para o MI dominante e 61,33±8,17% para o MI não dominante.

Palavras-chave (máximo 3)

Futebol; Atletas; Desempenho Esportivo

Área

Biomecânica

Autores

Carlos Tadeu Moreno, Victor Silva Alves, Ronaldo Alves da Cunha, Alberto de Castro Pochini