IX Congresso Brasileiro e VII Congresso Internacional da Sociedade Nacional de Fisioterapia Esportiva e da Atividade Física

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Prevalência de lesões em atletas de Jiu-Jitsu nas modalidades Gi e No Gi

Resumo (máximo 3000 caracteres com espaço)

Introdução: O jiu-jítsu tem como sua filosofia, o predomínio de suas técnicas de luta sobre a imposição da "força bruta", pois prioriza o uso de princípios biomecânicos que visam aperfeiçoar a força muscular do praticante, anular a do oponente, e/ou até mesmo utilizar as valências físicas deste contra ele próprio. Esse esporte enfatiza quedas, bloqueios de articulações, alavancagem e estratégia para imobilizar, controlar, enviar e desabilitar seu adversário, permitindo que uma pessoa menor ou fisicamente mais fraca possa obter sucesso com um oponente maior e mais forte usando uma técnica adequada, incluindo fechaduras e estrangulamentos. Na literatura científica a vários estudos que identifiquem as principais lesões. Entretanto, ainda não foram investigada a prevalência de lesão por modalidade Gi (com kimono) e No Gi (sem kimono), região anatômica e tecido acometido. Objetivo: Avaliar a prevalência de lesão musculoesquelética em atletas de jiu-jitsu na modalidade Gi e No Gi. Métodos: Trata-se de um estudo epidemiológico transversal observacional, que seguiu as recomendações internacionais da Strengthening the Reportinf of Observational Studies in Epidemiology – Strobe Statemet. O estudo foi realizado pelo Laboratório de Análise Biomecânica, Reabilitação Esportiva e Musculoesquelética (LABREME) do Centro Universitário Tiradentes – Maceió/Alagoas. Para calcular o tamanho amostral, tamanho estimado da população de atletas filiados a Liga Alagoana de Jiu-jitsu. Os participantes foram convidados via e-mail e abordados antes do início das competições e treinos, de maneira individualizada. O questionário da presente pesquisa foi criado buscando contemplar todos os aspectos relacionados às lesões dos atletas de Jiu-Jitsu. A análise estatística foi conduzida com base no teste de correlação linear de Pearson (r), o coeficiente de determinância (R2) e Coeficiente de regressão logística, a um nível de significância de 5% e processado por meio do software JASP 9.2.0. Resultados: O presente estudo foi composto por uma amostra de 111 atletas de Jiu-Jitsu, de ambos os sexos, com idade entre de 18 a 45 anos. A maioria dos atletas sofreram lesões durante a pratica do jiu-jitsu na modalidade Gi (n= 63; 56,7%), e apenas 14,4% (n= 16) na modalidade Gi ou ambas. Entretanto, não houve correlação entre a prevalência de lesões e a modalidade praticada (p= 0,067). No que se refere ao mecanismo de lesão, pode-se observar que os golpes “Mão de vaca” (n= 16; 25,8%), “Leg lock” (n= 10; 16,1%), “Omoplata” (n= 10; 16,1%) e “Arm Lock” (n= 9; 14,5%) a proporcionaram o maior número de lesões, não apresentando correlação entre essas variáveis (p= 0,562). As regiões anatômicas mais lesionadas foram o joelho (n= 22; 26,8%) e ombro (n= 18; 21,9%), principalmente na modalidade Gi, mas não havendo correlação significativa entre essas a lesão e região acometida (p= 0.231). Conclusão: A modalidade Gi proporciona o maior numero de lesões principalmente no joelho e ombro.

Palavras-chave (máximo 3)

Prevalência, arte marcial, lesão

Área

Epidemiologia

Autores

Rafaela Maria Silva, Mariana Bezerra Alves, Cassius Anselmo iury, Wedja Cândido Alves, Loislane Santos Oliveira, Natanael Teixeira Alves