IX Congresso Brasileiro e VII Congresso Internacional da Sociedade Nacional de Fisioterapia Esportiva e da Atividade Física

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Perfil das queixas musculoesqueléticas dos atletas atendidos no setor de recovery do Ironman 70.3 Fortaleza

Resumo (máximo 3000 caracteres com espaço)

Introdução: O triatlo de longa distância vem crescendo rapidamente e cativando vários adeptos nos últimos anos. A combinação de natação, ciclismo e corrida tem elevado a performance dos atletas, assim como o número de queixas musculoesqueléticas durante treinos e provas. Desta forma, a combinação de treinos/provas e recuperação física é fundamental. Por conseguinte, mapear as queixas mais frequentes no pós prova facilitará o direcionamento das estratégias de recuperação. Objetivo: Descrever o perfil de queixas musculoesqueléticas de triatletas que procuraram o setor de recovery após terminarem uma prova de Ironman 70.3. Métodos: Estudo descritivo e epidemiológico, de abordagem quantitativa, no qual utilizou dados coletados por meio de entrevista simples com os triatletas que procuraram o setor de recuperação do Ironman 70.3 Fortaleza que corresponde as distâncias de 1,9km natação, 90km de ciclismo e 21km de corrida. Esta pesquisa teve aprovação do comitê de ética (96696418.2.0000.5054). Resultados: Dos 616 participantes na prova, 265 (43,01%) procuraram o setor de recovery sendo em sua maioria brasileiros (n= 247; 93,3%) do sexo masculino (n= 217; 81,9%). Dos atletas avaliados, 31 (11,7%) não relataram nenhum tipo de queixa musculoesquelética, 160 (60,37%) apresentaram até quatro queixas, 53 (20%) entre cinco e sete queixas e 21 (7,92%) apresentaram oito queixas ou mais após a competição. Das queixas musculoesqueléticas relatadas, a dor muscular na região posterior da perna (direita n=113; 42,6% / esquerda n=112; 42,3%), na região posterior da coxa (direita n=98; 37% / esquerda n=99; 37,4%) e anterior da coxa (direita n=99; 37,4% / esquerda n=96; 36,2%) foram as mais prevalentes. Entre as queixas, a dor muscular, dor articular e câimbras foram as mais relatadas respectivamente. Conclusão: Em competições de triatlo no formato 70.3, aproximadamente 4/10 competidores procuraram o setor de recuperação. Destes competidores, mais da metade apresentaram até quatro queixas musculoesqueléticas, a perna e a coxa foram os locais mais acometidos e a dor muscular a queixa mais prevalente.

Palavras-chave (máximo 3)

epidemiologia, esportes, corrida

Área

Epidemiologia

Autores

Rodrigo Ribeiro de Oliveira, Fábio Sprada de Menezes, Aline Holanda de Araújo, Mariana Cavalcante, Albino Luciano Abreu Pereira, Márcio Almeida Bezerra