IX Congresso Brasileiro e VII Congresso Internacional da Sociedade Nacional de Fisioterapia Esportiva e da Atividade Física

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Prevalência de lesões em atletas de basquete

Resumo (máximo 3000 caracteres com espaço)

Introdução: O basquete é uma modalidade esportiva de alta intensidade, durante um jogo, o atleta realiza cerca de 1000 atividades de curta duração, relacionadas com força explosiva, potência de deslocamento, velocidade e agilidade. Esses gestos podem demandar lesões inerentes ao esporte, tanto na defesa como no ataque. Objetivo: Investigar a prevalência de lesões em atletas de basquete no estado de Alagoas. Métodos: Trata-se de um estudo epidemiológico transversal observacional, que seguiu as recomendações internacionais da Strengthening the Reportinf of Observational Studies in Epidemiology – Strobe Statemet. O estudo foi realizado pelo Laboratório de Análise Biomecânica, Reabilitação Esportiva e Musculoesquelética (LABREME) do Centro Universitário Tiradentes – Maceió/Alagoas, e aprovação pelo comitê de ética da referida instituição (CAAE: 06012918.90000.5641). Para calcular o tamanho amostral, tamanho estimado da população de atletas de basquete federados na Federação de Basquete de Alagoas, totalizando de 152 atletas. Os participantes foram convidados via e-mail e abordados antes do início das competições e treinos, de maneira individualizada. O questionário da presente pesquisa foi criado buscando contemplar todos os aspectos relacionados às lesões em jogados de basquete. A análise estatística foi conduzida com base no teste de correlação linear de Pearson (r), o coeficiente de determinância (R2) e Coeficiente de regressão logística, a um nível de significância de 5% e processado por meio do software JASP 9.2.0. Resultados: O presente estudo foi composto por uma amostra de 158 atletas de basquete, de ambos os sexos, com idade entre de 18 a 45 anos, subdivididos entre as categorias adultas e máster. Quando questionados sobre a ocorrência de lesões em decorrência da prática de basquete ao longo de sua vida esportiva, o cenário é de mais de 87% (n= 137) dos atletas lesionados, independente do gênero. A maioria das lesões ocorreram na articulação do tornozelo (n= 62; 24,8%) e joelho (n= 62; 24,8%). Não apresentando correlação entre as posições de jogo e os locais das lesões (p= 0,510). Assim como, o maior número de lesões ocorreu nas articulações (n= 78, 27,6%), tendões (n= 64; 22,6%), músculos (n= 56; 19,8%) e ligamentos (n= 49; 17,3%). Todavia, não houve correlação com a posição de jogo (p= 0,714). O mecanismo de lesão mais relatado foi relacionado ao salto, acometendo o tornozelo na maioria das ocasiões (n= 45; 31%), lesionando a articulação (n= 39; 28,6%) e os tendões (n= 35; 25,7%). Existindo uma fraca correlação entre o local da lesão e o mecanismo de lesão (r Pearson= 0,149; p= 0,009). Conclusão: O basquete apresenta alta prevalência de lesões musculoesqueléticas, acometendo principalmente a articulação e os tendões do tornozelo.

Palavras-chave (máximo 3)

prevalência; lesão; basquete.

Área

Epidemiologia

Autores

Acsa Anacleto Cristo Oliveira, Fabianna Narayanne Moraes Marques Nepomuceno, Maria Anyelly Pedrosa Silva, Eduarda Waleska Lemos, Natanael Teixeira Alves Sousa