IX Congresso Brasileiro e VII Congresso Internacional da Sociedade Nacional de Fisioterapia Esportiva e da Atividade Física

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Associação do Lunge Test com o desempenho da direção anterior no Star Excursion Balance Test em atletas de futsal masculino

Resumo (máximo 3000 caracteres com espaço)

INTRODUÇÃO: O futsal é um esporte de contato com constantes trocas de direções, o que aumenta o número de lesões em tornozelo. Entre os fatores de risco identificados para lesões nessa articulação estão a diminuição de dorsiflexão e a perda da estabilidade dinâmica. O Lunge teste é um método de avaliação da dorsiflexão em cadeia cinética fechada e restrições na mobilidade desse teste tem associação com dor anterior do joelho e também com maior chance de entorses de tornozelo. Já o Star Excursion Balance Test (SEBT) é uma avaliação da estabilidade de membros inferiores nas direções anterior, posteromedial e posterolateral, e tem sido associado com lesões de joelho e tornozelo. OBJETIVO: Avaliar a associação da medida alcançada no Lunge Test com o desempenho na direção anterior do SEBT em jogadores de futsal masculino. MATERIAIS E MÉTODOS: Noventa atletas masculinos de futsal (22 ± 5,1 anos, 75,5 ± 11,8 kg e 176,3 ± 6 cm) realizaram os testes de amplitude de dorsiflexão (teste Lunge) e estabilidade estática (SEBT). Quatro fitas métricas foram utilizadas para a composição dos testes, sendo uma para o Lunge teste e três para o SEBT, uma para cada direção. Na execução do teste Lunge o atleta foi orientado a posicionar o pé em uma fita métrica a uma distância inicial de 10 cm e tocar a parede com o joelho, mantendo o calcanhar em total contato com o solo. A distância foi reduzida caso o atleta não conseguisse manter o pé no apoio total. Para análise foi considerada a maior distância obtida após 3 tentativas. Para o SEBT o avaliado devia ficar em apoio unipodal e alcançar a maior distância possível nas direções anterior, posteromedial e posterolateral com o membro inferior que estava livre. Durante a execução não foi permitido retirar o calcâneo do contato com o solo ou as mãos do quadril em qualquer uma das direções avaliadas. Foram realizadas 2 tentativas de familiarização para cada direção e 3 testes válidos. Em proveito do estudo foi considerada a média das 3 tentativas apenas na direção anterior, sendo o valor normalizado pelo comprimento do membro. O membro dominante (Dom) e não dominante (NDom) foram avaliados e para a análise dos dados utilizou-se a estatística descritiva e a correlação de Pearson (nível de significância, p<0,05). A intensidade da correlação foi classificada como fraca (r<0,30), moderada (0,40<r<0,60) e forte (r>0,70). RESULTADOS: Os resultados obtidos demostram haver uma correlação entre o Lunge teste (Dom 12 ± 2,81 cm; NDom 12 ± 3,09 cm) e o SEBT (Dom 60,83 ± 6,40 cm; NDom 60,66 ± 6,34 cm) de r=0,464 e r=0,582 para os membros Dom e NDom respectivamente, com nível de significância de p<0,01. CONCLUSÃO: Atletas de futsal masculino apresentaram correlação positiva e moderada entre da distância obtida no Lunge teste com o desempenho na direção anterior do SBET. Assim sendo, é possível afirmar que a diminuição de dorsiflexão em CCF está associada com a diminuição da distância alcançada na direção anterior do SEBT.

Palavras-chave (máximo 3)

Extremidade Inferior, Avaliação, Atletas.

Área

Biomecânica

Autores

Bruno Tagliapietra Canabarro, Gabriel Santini, Mateus Marques Langerdorf, Michele Forgiarini Saccol