IX Congresso Brasileiro e VII Congresso Internacional da Sociedade Nacional de Fisioterapia Esportiva e da Atividade Física

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Relação entre fatores das articulações do quadril e tornozelo e a ocorrência de tendinopatia do calcâneo em corredores recreacionais.

Resumo (máximo 3000 caracteres com espaço)

Introdução: A tendinopatia do calcâneo é caracterizada pela incapacidade, dor e edema na região do tendão do calcâneo. Essa condição está entre as lesões de membro inferior que mais acometem os corredores. Fatores biomecânicos locais tais como pronação excessiva da articulação subtalar, déficit de amplitude de movimento de dorsiflexão de tornozelo e fraqueza dos músculos flexores plantares, vêm sendo associados com a presença da tendinopatia do calcâneo em corredores. Recentemente, fatores distais como déficit de força dos músculos do quadril também vêm sendo relacionadas com a tendinopatia do calcâneo. É possível que a interação entre fatores locais e não locais altere a sobrecarga imposta no tendão do calcâneo e contribua com o desenvolvimento ou continuidade da tendinopatia de calcâneo em corredores. Objetivo: Verificar a contribuição de fatores da articulação do quadril e do complexo tornozelo-pé na ocorrência de tendinopatia do calcâneo em corredores de rua recreacionais. Métodos: Um estudo transversal foi conduzido com 51 corredores recreacionais, sendo 25 com tendinopatia do calcâneo e 26 saudáveis. Os participantes que reportaram e experimentaram dor na região do tendão do calcâneo durante a palpação foram inclusos no grupo tendinopatia. Em ambos os grupos, os participantes tinham que correr um mínimo de 15km por semana e não ter histórico de lesão (outras que tendinopatia do calcâneo para o grupo lesionado) nos últimos seis meses. A avaliação do alinhamento perna-antepé, da amplitude de movimento de dorsiflexão de tornozelo, da amplitude de movimento passiva de rotação medial do quadril, da força isométrica dos músculos flexores plantares do tornozelo e dos rotadores laterais do quadril foram mensurados. A análise estatística foi feita através da Árvore de Regressão e Classificação e o cálculo da área abaixo curva “Receiver Operatring Characteristic” foi realizado para determinar a acurácia do modelo. Além disso, a razão de prevalência foi calculada para cada nodo terminal do modelo. Resultados: A interação entre a amplitude de movimento de rotação medial do quadril, o alinhamento perna-antepé, a força de rotadores laterais do quadril e dos flexores plantares do tornozelo foi capaz de distinguir os indivíduos com e sem tendinopatia do calcâneo. O modelo foi capaz classificar corretamente 92% dos participantes do grupo controle e 72% do grupo lesionado. A área sobre a curva Receiver Operating Characteristic foi de 0.88 e significativamente diferente da hipótese nula. Conclusão: A interação entre fatores do tornozelo e quadril foi capaz identificar a ocorrência de Tendinopatia do Calcâneo em corredores recreacionais. Os fisioterapeutas devem considerar uma avaliação específica para cada corredor com Tendinopatia do Calcâneo já que diferentes padrões biomecânicos podem ocorrer em pacientes com esta mesma condição.

Palavras-chave (máximo 3)

Tendinopatia; Tendão do Calcâneo; Corrida

Área

Biomecânica

Autores

Victor Matheus Leite Mascarenhas Ferreira, Rodrigo Ribeiro Oliveira, Thamiris Silva Nazareno, Lucas Valentim Freitas, Luciana De Michelis Mendonça