IX Congresso Brasileiro e VII Congresso Internacional da Sociedade Nacional de Fisioterapia Esportiva e da Atividade Física

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Análise do desempenho muscular em jogadores de futebol profissional nas diferentes posições no campo.

Resumo (máximo 3000 caracteres com espaço)

O futebol é considerado esporte de elevado contato físico, em que são executados movimentos de alta intensidade, como giro, salto e aterrizagem, chute, mudanças de direção, aceleração e desaceleração. Alguns estudos também verificaram se há variação na força isocinética dos extensores e flexores do joelho de acordo com as posições em campo com a finalidade de conduzir uma prescrição de exercício específica a função de cada jogador. Ainda assim, não há consenso entre os autores a respeito desse tema e resultados contraditórios podem ser encontrados na literatura. Portanto, o presente estudo tem como objetivo de verificar a força isocinética nas diferentes posições do campo. Estudo transversal, desenvolvido no período de 2015 a 2018, aprovado no Comitê de Ética e Pesquisa da Universidade Federal do Rio Grande do Norte com 189 jogadores profissionais entre 18 e 40 anos, que não apresentaram nenhuma lesão musculoesquelética ou cirurgia nos membros inferiores no últimos 6 meses. Foi utilizado o dinamômetro isocinético da marca Biodex Multi-Joint System 3 e foram analisadas as variáveis pico de torque, trabalho total e potência dos músculos extensores e flexores do joelho e a relação convencional isquiostibiais/quadríceps. Os resultados mostram que os goleiros e zagueiros obtiveram maiores índices que os demais jogadores na maioria das variáveis em ambos os membros (p < 0,05). É possível observar que os goleiros e zagueiros apresentaram maior estatura e massa corporal do que os outros, o que é esperado, pois atletas de defesa normalmente possuem essas características para conseguir executar as funções requeridas em sua posição. Como o teste isocinético é baseado em um sistema de alavancas, provavelmente sujeitos mais altos tendem a ter maior comprimento do membro e assim maior braço de força. Desse modo, alcançariam maiores índices nas variáveis estudadas. Outra possível explicação é que essas duas posições realizam treinamento específico para executar funções de explosão muscular (saltos, chutes, sprints), o que proporcionaria ao atleta obter melhor desempenho no teste isocinético. Este estudo conclui que os goleiros e zagueiros apresentam maiores índices de força nos extensores e flexores dos membros dominantes e não dominantes.

Palavras-chave (máximo 3)

Força Muscular, Potência e Atletas

Área

Prevenção

Autores

Vinicius Vieira Alencar Caldas, Daniel Germano Maciel, Mikhail Santos Cerqueira, Jean Arthur Mendoça Barboza, Alef Cavalcanti Matias Barros, Wouber Hérickson Brito Vieira