IX Congresso Brasileiro e VII Congresso Internacional da Sociedade Nacional de Fisioterapia Esportiva e da Atividade Física

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Correlação entre a força de extensão lombar e tempo de permanência no teste para o CORE específico do esporte.

Resumo (máximo 3000 caracteres com espaço)

Introdução: A fraqueza muscular atrelada ao déficit de estabilização do tronco pode expor o atleta a um risco aumentado de lesões em estruturas da coluna vertebral, podendo levar ao afastamento das atividades esportivas. O CORE é formado pela musculatura que compõe a coluna, quadril, pelve e a parte proximal de membros inferiores, que trabalham em conjunto para estabilizar a coluna vertebral. Um dos métodos utilizados para avaliar esta musculatura é o teste para o CORE específico do esporte, composto por 8 etapas com duração máxima de 3 minutos, onde o atleta mantém a posição de prancha ventral e com o passar das etapas realiza o deslocamento de membros superiores e inferiores. Aliado a este teste, a dinamometria lombar possui alto valor na avaliação da força muscular extensora de tronco, e capacidade física global, sobretudo em indivíduos que realizam atividades de alta demanda física. Entretanto, a relação entre a força extensora do tronco e o desempenho em testes funcionais para o CORE ainda não está bem compreendida. Objetivo: Verificar se existe correlação entre a força de extensão lombar e o tempo de permanência do atleta no teste para o CORE específico do esporte. Métodos: Este estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa em Seres Humanos da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (2.759.822/2018). Participaram do estudo 20 jogadores de voleibol juvenis (16,05 ± 1,27 anos, 68,6 ± 9,36 kg, 1,8 ± 0,8 m, tempo de prática no esporte 2,7 ± 1,35 anos). Inicialmente foi realizado a dinamometria de extensão lombar, sendo executado 3 repetições de força isométrica máxima por 5 segundos, com descanso de 20 segundos entre as repetições e usada a média da força alcançada para análise estatística. Após essa avaliação foi realizado o teste para o CORE específico do esporte, onde primeiro houve a familiarização do atleta ao teste e após iniciou-se o mesmo, sendo cronometrado o tempo máximo que o atleta conseguiu se manter no teste, realizado uma única vez. Na análise dos dados foi utilizado o teste de correlação de Spearman, considerando α=5%. Resultados: Foi encontrada uma moderada correlação entre os valores das variáveis analisadas (R=0,48, p=0,03) indicando assim que quanto maior a força do grupo muscular extensor de tronco, maior foi a capacidade do atleta em sustentar a posição de prancha ventral no teste para o CORE. Conclusão: A força de extensão lombar está moderadamente correlacionada com o desempenho de atletas de voleibol no teste para o CORE específico do esporte.

Palavras-chave (máximo 3)

Voleibol, adolescentes, força muscular.

Área

Biomecânica

Autores

Matheus Lima Zampieri, Karolyne Stéfanie Sousa Barbosa, Ana Carolina Pignatti Costa, Angelo Ferreira Meireles da Costa, Dernival Bertoncello, Daniel Ferreira Moreira Lobato