IX Congresso Brasileiro e VII Congresso Internacional da Sociedade Nacional de Fisioterapia Esportiva e da Atividade Física

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Associação entre assimetrias musculares da articulação do joelho e o posicionamento tático em atletas jovens de futebol de campo.

Resumo (máximo 3000 caracteres com espaço)

Introdução: O desempenho funcional, avaliado por meio da dinamometria isocinética, pode ser utilizado para verificar assimetrias musculares, evidenciando déficits funcionais e risco de lesões, e servir como base para estratégias de prevenção de lesão no esporte. Objetivos: Identificar se existe associação entre assimetrias musculares da articulação do joelho e o posicionamento tático, em atletas jovens de futebol de campo amadores. Métodos: Esse estudo transversal incluiu uma amostra por conveniência, formada por atletas de futebol de campo, das categorias Sub-13, Sub15 e Sub17, integrantes de um clube de futebol em um município, no interior do Rio Grande do Sul, Brasil. Os atletas responderam a um questionário incluindo a idade e o posicionamento tático. A avaliação da força dos músculos extensores e flexores do joelho foi realizada através do dinamômetro isocinético Biodex System Pro 4™, nas velocidades de 60°/s e de 300°/s no modo concêntrico. Os parâmetros analisados foram o pico de torque (PT) e a relação agonista/antagonista (Relação I:Q). Os atletas que apresentaram relação I:Q inferior a 50% na velocidade 60°/s, e inferior a 70% na velocidade 300°/s foram classificados como tendo assimetria unilateral, e os atletas que apresentaram o PT superior a 10% entre membros, foram classificados como tendo assimetria bilateral. Foi realizado o teste Qui-quadrado para identificar as associações entre as variáveis, e considerou-se um nível de significância de 5%. Os critérios éticos foram respeitados e o estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da universidade local. Resultados: Foram incluídos 58 atletas (14,8±1,53 anos). Evidenciamos que a posição de ataque apresentou associação significativa (p<0,05) com a frequência de assimetrias unilaterais (na velocidade de 300°/s), tanto no grupo geral, como nas categorias sub-13 e sub-15. Conclusão: Com base nesses resultados, apoia-se a ideia de avaliar o desempenho muscular em jovens jogadores de futebol, a fim de identificar possíveis assimetrias, já que as mesmas representam um risco de desenvolvimento de lesão. Nesse sentido, ressaltamos a importância da inserção de programas de prevenção de lesão em atletas jovens, considerando o posicionamento tático do atleta em campo.

Palavras-chave (máximo 3)

Força muscular, atletas, futebol

Área

Prevenção

Autores

Lilian Pinto Teixeira , Laura Souto Melo, Vinícius de Oliveira Trindade, Susane Graup, Simone Lara