IX Congresso Brasileiro e VII Congresso Internacional da Sociedade Nacional de Fisioterapia Esportiva e da Atividade Física

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Analise Analise dos fatores de riscos das lesões musculoesqueléticas em jogadores profissionais de futebol: uma revisão sistemática

Resumo (máximo 3000 caracteres com espaço)

Introdução: O futebol é o esporte mais praticado no mundo, com cerca de 200 mil atletas são profissionais. Mesmo sendo considerado uma prática segura, apresenta uma série de fatores como, contato físico, mudança de direção, aceleração, desaceleração e saltos, aumentando o risco de lesão, problema esse que preocupa os investidores, empresários, equipes médicas e os próprios jogadores e praticantes. Objetivos: Realizar uma revisão sistemática para investigar o motivo de lesão em os jogadores profissionais estudado nos últimos cinco anos, além de apresentar as áreas mais acometidas, os mecanismos de enfrentamento e as repercussões provocadas nas lesões dos atletas. Estratégia de busca: Foi realizada uma pesquisa bibliográfica abrangente usando: Science Direct, Scopus, MEDLINE-PubMed, Web of Science. Critérios de seleção: Ensaios clínicos que apresentam lesões traumáticas-ortopédicas causadas pelo futebol de campo em atletas profissionais masculinos nos últimos 5 anos. Resultados: Um total de 5948 estudos foram originalmente selecionados, mas apenas 30 foram incluídos após a análise de texto completo. A população dos artigos incluídos nessa revisão variou muito (incluímos estudo que analisou 25 jogadores, bem como estudo com 2439 jogadores). Em relação ao tipo de lesão, mais citada foi a lesão muscular (15 estudos) e o local da lesão mais relatado foi um coxa (16 estudos), sendo o músculo isquiotibiais o mais citado. Conclusão: De acordo com os estudos incluídos na revisão sistemática, a maioria das lesões que ocorrem nos jogadores de futebol de campo profissional, acometem os membros inferiores, tendo as lesões musculares, as articulares de joelhos e tornozelos e fraturas por contato direto ou por estresse como as mais prevalentes em jogadores com idade mais avançada. Elas ocorrem mais nas partidas oficias, em dias chuvosos e em regiões mais frias, do que nos treinos e pré-temporada. Entretanto a lesão do músculo isquiotibiais é o maior desafio da equipe técnica, médica e dos pesquisadores, pois ao longo dos últimos 5 anos a incidência não variou e independente do grau da lesão, é a que mais afasta jogadores de suas atividades, entretanto em alguns casos o retorno às atividades é rápido. Dado importante é relacionado às lesões ligamentares dos joelhos, pois é ela que afasta o jogador por mais tempo de exercer suas funções e gera mais gastos ao clube. Contudo sugere-se que os treinos preventivos com maior especificidade, respeitando a individualidade de cada atleta, somados a períodos maiores de descanso é um caminho para que novos ensaios clínicos randomizados sejam produzidos afim de transformar o futebol campo profissional em um ambiente mais salubre.

Palavras-chave (máximo 3)

Futebol. Lesão.

Área

Epidemiologia

Autores

PAULO RICARDO DE SANTANA PEREIRA, IGOR BORGES SILVA, PAULA SANTOS NUNES, LUCAS GAMA BISPO SOUZA, Fernanda Oliveira de Carvalho, JULIANA MOREIRA DE ALCÂNTARA