IX Congresso Brasileiro e VII Congresso Internacional da Sociedade Nacional de Fisioterapia Esportiva e da Atividade Física

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Análise da agilidade de jovens praticantes de esporte escolar

Resumo (máximo 3000 caracteres com espaço)

Introdução: Quando se procura desenvolver nossas capacidades motoras, todas as outras são influenciadas. A uma grande importância do desenvolvimento da agilidade em crianças, por que é a melhor idade para desenvolver suas capacidades motoras, já que seu corpo está em desenvolvimento constante e necessita ser trabalhado. Objetivo: O objetivo deste trabalho foi investigar o nível de agilidade de jovens praticantes de esporte escolar do município de Palmas-TO. Método: Trata-se de um estudo retrospectivo, descrito, quali-quantitativo. A pesquisa foi realizada em 06 escolas, sendo: cinco escolas públicas e uma privada. A amostra foi constituída por 472 jovens do sexo masculino e 371 do sexo feminino, num total de 843 jovens, na faixa etária entre 9 e 15 anos de idade, distribuídos na amostragem de acordo com a sua faixa etária. Para verificar o índice de agilidade foi utilizado a medida de tempo através de um cronômetro, para leitura da agilidade foram utilizados quatro cones com 50 cm de altura formando um quadrado de 4m de lado e associada à tabela de normas (provisórias) para avaliação da Aptidão Física de Desenvolvimento Motor (ApFDM) para ambos os sexos proposta pelo Projeto Esporte Brasil (PROESP) segundo o índice de Agilidade (teste quadrado). A medida da agilidade é registrada em segundos e centésimos. O tratamento estatístico foi realizado através do software do programa Microsoft Excel com valores médios. Resultados: A partir da análise dos dados, podemos observar que os resultados apresentados para crianças do sexo feminino com idade de 9 anos foram classificados como bom, pois realizaram o teste quadrado entre 7,12 a 6,65 segundos. Nas idades de 10 e 11 anos foi razoável, com valores variando entre 7,02 a 6,89 e 6,91 a 6,69 segundos, respectivamente. As jovens de 12 a 15 anos este índice foi fraco, com 7,22 a 6,82 segundos para de 12 anos, 7,11 a 6,72 segundos para 13 anos, 7,03 a 6,64 segundos na idade de 14 anos e 6,98 a 6,65 para meninas de 15 anos de idade. Analisando os dados com as crianças do sexo masculino, nota-se que os jovens de 9, 10 e 13 anos apresentaram índices razoáveis, 6,96 a 6-64, 6,75 a 6,43 e 6,15 a 5,87 segundos, já nas idades de 11, 12 e 14 anos os índices foram fracos, com 6,95 a 6,55, 6,73 a 6,35 e 6,33 a 5,97 segundos e nos jovens de 15 anos muito fracos, com tempo inferior a 6,17 segundos. Conclusão: Os dados observados neste estudo nos remetem a afirmar que escolares do município de Palmas estão abaixo do índice razoável no que se refere a qualidade física de agilidade, onde somente na idade de 9 anos no sexo foi considerado como índice bom, quando comparados a tabela ApFDM, proposta pelo PROESP.

Palavras-chave (máximo 3)

Fisioterapia Preventiva. Seleção esportiva, agilidade.

Área

Biomecânica

Autores

Carlos Eduardo Pereira Souza, Anderson Batista Nunes, Danilo Guerra Saraiva, Guilherme Pacheco Dutra, Jeniffer Silva Gomes, Leonardo Boni Souza Silva