IX Congresso Brasileiro e VII Congresso Internacional da Sociedade Nacional de Fisioterapia Esportiva e da Atividade Física

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

LESÕES E TRATAMENTO PREVALENTES EM ATLETAS DE KARATÊ

Resumo (máximo 3000 caracteres com espaço)

O Karatê-Dô é conhecido como “Caminho das Mãos Vazias”; e é caracterizada por uma gama imensa de golpes, que envolvem socos, chutes, posturas, bases, movimentações, defesas, ataques, com diferentes partes do corpo, combinado com saltos, movimentos bruscos e coordenados. Considerando o volume reduzido de informações sobre lesões características dessa modalidade, recentemente incluída nas olimpíadas, o objetivo deste estudo foi investigar a prevalência de lesões e o tratamento frequentemente empregado pós lesão em praticantes de Karatê. Participaram deste estudo 94 indivíduos, de ambos os gêneros, participantes de campeonatos de Karatê, no Kata e Kumite, com idade entre 18 e 80 anos. Os participantes responderam questionário sobre a prática da modalidade, histórico de lesões e de tratamento, aplicado de maneira presencial, em campeonatos de Karatê. Desta amostra 70,21% eram homens e 29,79% eram mulheres; a maioria entre 18 e 29 anos (64,89%); com tempo de pratica de 6 meses a 5 anos (31,91%); frequência de treinamento de 3 vezes por semana (25,53%); e duração de treinamento de 1 a 2 horas por dia (70,21%). Os resultados indicaram que 75,53% dos atletas desta amostra apresentavam histórico de lesões decorrentes da prática do Karatê; sendo que 15,70% sofreram lesões de cabeça e pescoço, prevalecendo o corte (25,71%) e fratura (22,86); 15,25% mãos e dedos, prevalecendo a fratura (32,35%) e luxação (29,14); 14,80% joelho, prevalecendo a contusão (51,52%); 13,45% pés e dedos, prevalecendo a contusão (30%) e luxação (30%); 12,56% ombro, prevalecendo a luxação (35,71%); 12,11% tornozelo, prevalecendo a entorse (44,44%); 8,07% cotovelo, prevalecendo a contusão (38,89%); 4,48% coluna e 3,59% quadril, ambos relatando outras lesões. Em relação ao tratamento frequentemente empregado após a ocorrência da lesão esportiva, os resultados apontaram que 61,58% adotaram o repouso, 28,82% realizaram tratamento fisioterapêutico, 5,08% necessitaram de procedimento cirúrgico e 4,53% adotaram outros procedimentos. Com base nestes resultados, é possível inferir que o Karatê é uma modalidade olímpica altamente lesiva, em função da prevalência elevada de lesões nesta amostra. Além disto, nesta amostra, o repouso foi o tratamento frequentemente empregado após a ocorrência da lesão esportiva; apesar do tratamento fisioterapêutico auxiliar no retorno precoce ao esporte. Deste modo, sugere-se que atletas e praticantes de Karatê realizem intervenção preventiva que favoreça a redução da prevalência de lesões e recebam orientações e/ou intervenções para o tratamento adequado das lesões esportivas.

Palavras-chave (máximo 3)

Karatê. Lesões em atletas. Tratamento.

Área

Tratamento

Autores

Ana Paula Trindade Aprigio, Gisele Luzia da Cruz, Thatia Regina Bonfim