IX Congresso Brasileiro e VII Congresso Internacional da Sociedade Nacional de Fisioterapia Esportiva e da Atividade Física

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Prevalência de incapacidade por lombalgia em corredores de rua pelo índice de Oswestry

Resumo (máximo 3000 caracteres com espaço)

Introdução: A corrida de rua vem aumentando sua popularidade, visto que é um esporte de baixo custo e de fácil aderência em todas as classes sociais, por isso, o número de praticantes vem crescendo significativamente nos últimos anos. Entretanto, essa prática, algumas vezes associada à falta de orientação, pode acarretar lesões devido a desequilíbrios musculares, comuns nos problemas posturais e na lombalgia. Objetivo: Verificar a prevalência de incapacidade funcional por lombalgia pelo índice de Oswestry de corredores de rua de um grupo de corrida de Imperatriz-MA. Método: trata-se de um estudo transversal, descritivo e quantitativo. Realizado nos meses de maio e junho de 2019. A população era composta de corredores de rua de um grupo de corrida de Imperatriz-MA. A amostra foi composta de 20 participantes, de ambos os sexos com idades igual ou superior a 17 anos, selecionados aleatoriamente por conveniência, e que aceitaram participar respondendo ao questionário eletrônico. Na avaliação da incapacidade funcional por lombalgia, o participante recebeu o link de uma plataforma de criação de questionários disponível na internet, plataforma googledocs, disponível em: (https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLScH2). Este link. deu acesso ao questionário do Índice de Incapacidade de Oswestry baseado em Falavigna et al. (2011). Que consiste em 10 questões com seis alternativas, cujo valor varia de 0 a 5. A primeira pergunta avalia a intensidade da dor e as outras nove, o efeito da dor sobre as atividades diárias como: cuidados pessoais (vestir-se e tomar banho), elevar pesos, caminhar, quando está sentado, em pé, dormindo, em sua vida sexual, social e na locomoção. O índice de Oswestry é classificado em incapacidade mínima (0 – 20%), incapacidade moderada (21- 40%), incapacidade severa (41 – 60%), indivíduo que apresenta-se inválido (61 – 80%), e indivíduo restrito ao leito (81 – 100%). Os dados foram tabulados através de estatística simples com frequência absoluta e relativa, através do programa Microsoft Excel 2017. Resultados: De acordo com os resultados da pesquisa, a maioria eram do sexo feminino, 65% e 35% do sexo masculino. Dos participantes, 85% (n=17) relataram que sentem dor na coluna lombar e 15% (n=3) não sentem dor. Em relação a faixa etária, variou de 17 a 45 anos de idade. Em relação a prevalência de incapacidade funcional pelo índice de oswestry, a maioria 88,2% (n=15) estão classificados em incapacidade mínima, de acordo com Score de interpretação variando de 0 a 20% e 11,8% (n=2) deles apresentaram dor lombar classificada com incapacidade moderada de acordo com o Score de interpretação entre 21 e 40%. Não houveram corredores classificados nas demais categorias. Conclusão: Os resultados da pesquisa nos mostram um alto número de corredores com dores na coluna lombar e já apresentam um nível de incapacidade mínimo. Porém, deve-se levar em consideração a possibilidade de programas de prevenção de lesões.

Palavras-chave (máximo 3)

Lombalgia. Corredores de rua. Fisioterapia desportiva

Área

Epidemiologia

Autores

Carlos Eduardo Pereira Souza, Anderson Batista Nunes, Jeniffer Silva Gomes, Danilo Guerra Saraiva, João Victor Gonçalves Lino, Ester Freitas Santos