IX Congresso Brasileiro e VII Congresso Internacional da Sociedade Nacional de Fisioterapia Esportiva e da Atividade Física

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

A prática de pilates em universitários: repercussão na qualidade de vida e composição corporal

Resumo (máximo 3000 caracteres com espaço)

Introdução: A prática do pilates possibilita conhecer e controlar o próprio corpo, bem como, melhora a postura, tônus muscular, flexibilidade, o sistema cardiovascular, o condicionamento físico, a consciência corporal, a coordenação motora, o bem-estar, as dores e a qualidade de vida. Objetivo: Analisar o efeito de um programa de pilates composição corporal e qualidade de vida de universitários. Métodos: O estudo caracteriza-se como descritivo, quantitativo e transversal. A amostra foi formada por 18 universitários, de ambos os gêneros e classificados como sedentários ou insuficientemente ativos, pelo Questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ - versão curta). Os participantes foram divididos em dois grupos: G1 – grupo intervenção (n=10; idade média de 19,8±2,1 anos); G2 – grupo controle (n=8; idade média de 20,4±2,6 anos). O G1 foi submetido a um programa de pilates 2 vezes por semana, por um período de 3 meses (24 sessões). Já o G2 ficou sem realizar nenhuma atividade física regular por esse período. Os dois grupos foram avaliados, antes e depois do período de 3 meses, quanto às variáveis da composição corporal e da qualidade de vida (Questionário SF-36). Os dados foram analisados pela estatística descritiva e inferencial (testes de comparação) através do programa BioEstat 5.2, adotando-se o p<0.05. Resultados: Nota-se, de antes para depois do programa de pilates, que a massa corporal, estatura, índice de massa corporal, percentual de gordura, massa gorda e soma das dobras cutâneas (bíceps, tríceps, subescapular, suprailíaca, abdome, coxa e perna) não sofreram alterações no G1 e G2, bem como, a massa magra e circunferência abdominal no G1 (p>0.05). Já a massa magra diminuiu (p=0.0218) e a circunferência abdominal aumentou (p=0.0197) no G2. Para os domínios da qualidade de vida, observou-se diminuição do estado geral de saúde no G2 (p=0.0277) e para o G1 ocorreu melhora vitalidade (p=0.0051), dos aspectos sociais (p=0.0109) e do valor médio dos domínios (p=0.0069). Quando comparados os dois grupos, demonstrou-se maior estatura, massa magra, capacidade funcional e vitalidade para depois do programa no G1. Conclusão: Conclui-se, conforme o método proposto, que o programa de pilates para universitários inativos demonstrou-se eficaz para a melhora dos domínios da qualidade de vida (vitalidade, aspectos sociais e a média dos domínios). Já no pós-programa, devido as pequenas perdas do G2, o G1 apresentou maior estatura, massa magra, capacidade funcional e vitalidade.

Palavras-chave (máximo 3)

Técnicas de exercício e de movimento, Composição motora, Qualidade de vida.

Área

Prevenção

Autores

Daniela Freitas Oliveira, Paloma Nunes Silva, Emelly Cristina Fernandes Barros, Djúlia Soraya Pimentel Sena, Narryman Jordana Ferrão Sales, Luiz Fernando Gouvêa-e-Silva