IX Congresso Brasileiro e VII Congresso Internacional da Sociedade Nacional de Fisioterapia Esportiva e da Atividade Física

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Treinamento em dispositivos elásticos comparado à dispositivos convencionais sobre o desfecho composição corporal: revisão sistemática

Resumo (máximo 3000 caracteres com espaço)

Letícia de Almeida Fernandes1, Laís Garcia Rodrigues1, Jéssica Kirsch Micheletti2, Aryane Flauzino Machado2, Jaqueline Santos Silva Lopes1,3
1 Centro Universitário do Vale do Araguaia (UNIVAR), Departamento de Fisioterapia, Barra do Garças/MT
2 Universidade Estadual Paulista (UNESP), Departamento de Fisioterapia e Programa de Pós Graduação em Fisioterapia, campus de Presidente Prudente/SP
3 Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Departamento de Química e Programa de Pós Graduação em Ciências da Saúde, campus de Cuiabá/MT

Introdução: A resistência elástica tem sido utilizada clinicamente e investigada em âmbito científico, quanto à sua efetividade em populações e desfechos diversos. Tendo em vista a praticidade, acessibilidade e baixo custo, uma comparação com dispositivos convencionais pode ser capaz de quantificar resultados oriundos de ambos os métodos para posteriores conclusões. Objetivo: Comparar o efeito do treinamento resistido em dispositivos elásticos (tubos e thera-band) e dispositivos convencionais (máquinas de peso e halteres) sobre o desfecho composição corporal. Material e Métodos: Foram pesquisadas as bases de dados PubMed/MEDLINE, EMBASE, PEDro (Physiotherapy Evidence Database) e CENTRAL (Cochrane Central Register of Controlled Trials) desde os registros mais antigos até 25 de fevereiro de 2018. Os dados foram agrupados em meta-análise e descritos em standardized mean difference (SMD) com intervalo de confiança de 95% (95% CI). Resultados: Foram incluídos quatro estudos. Os resultados da meta-análise demonstraram haver superioridade de desfechos a partir do treinamento em dispositivos convencionais apenas para a variável massa gorda. Para as demais variáveis referentes à massa magra, gordura total e IMC não houve superioridade entre os métodos analisados uma vez que, não foram verificadas diferenças estatisticamente significantes. Discussão: A resistência elástica é capaz de promover ganho de força similar à resistência convencional, em diferentes perfis de população e a partir de protocolos diversos sobre variáveis do desfecho composição corporal. Os dados apresentados fornecem à profissionais clínicos e pesquisadores a possibilidade de utilização de uma ferramenta com baixo custo, acessível e fidedigna em cenários terapêutico e preventivo.
Referências:
Park S, Yoo W, An D, Jung-hoon L. Comparison of isometric exercises for activating latissimus dorsi against the upper body weight. J Electromyogr Kinesiol. 2015; 25(1)47-52.
Escamilla RF, Lewis C, Pecson A. Muscle Activation Among Supine, Prone, and Side Position Exercises With and Without a Swiss Ball. SAGE Journals. 2016.
Lima FF, Camillo CA, Gobbo LA, Trevisan IB et al. Resistance Training using Low Cost Elastic Tubing is Equally Effective to Conventional Weight Machines in Middle-Aged to Older Healthy Adults: A Quasi-Randomized Controlled Clinical Trial. J Sports Sci Med. 2018; 17(1) 153-160.

Palavras-chave (máximo 3)

Reabilitação; Treinamento Resistido; Condicionamento Físico.

Área

Biomecânica

Autores

Letícia de Almeida Fernandes, Laís Garcia Rodrigues, Jaqueline Santos Silva Lopes, Jéssica Kirsch Micheletti, Aryane Flauzino Machado