IX Congresso Brasileiro e VII Congresso Internacional da Sociedade Nacional de Fisioterapia Esportiva e da Atividade Física

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Avaliação isocinética dos músculos do tronco em atletas: estudo de revisão sistemática

Resumo (máximo 3000 caracteres com espaço)

Introdução: O dinamômetro isocinético é um instrumento considerado padrão-ouro para avaliar desempenho muscular. Nos esportes, ele fornece informações importantes quanto a condição biomecânica e funcional do atleta e, em alguns casos, indicadores de prevenção de lesão musculoesquelética. Contudo, pouco se sabe sobre os melhores parâmetros para avaliar os músculos do tronco, uma vez que este seguimento faz parte integrante na realização das capacidades motoras do atleta em diferentes esportes. Objetivo: Revisar sistematicamente a literatura para identificar quais são as evidências sobre os principais parâmetros isocinéticos para avaliar os músculos flexores e extensores do tronco em atletas. Método: Foi realizada uma revisão sistemática em fevereiro de 2019, resgatando os registros mais antigos até dezembro de 2018, sem restrições de idioma, idade, sexo ou modalidade esportiva, nas bases de dados PubMed, CENTRAL, LILACS, PEDro e SCOPUS, com as respectivas estratégias e palavras-chave: trunk OR spine OR back AND "muscle strength dynamometer"; trunk OR spine OR back AND muscle strength dynamometer; “trunk” OR “spine” OR “back” AND (“muscle strength dynamometer” OR isokinetic); trunk* spine* back* AND muscle strength dynamometer* e muscle strength dynamometer* AND coluna lombar; trunk OR spine OR back AND "muscle strength dynamometer". Foram incluídos os estudos que utilizaram o dinamômetro isocinético para avaliar os músculos flexores e extensores do tronco em atletas. As variáveis extraídas foram: modalidade esportiva, tipo de contração, velocidade angular, posicionamento do eixo do dinamômetro, amplitude do movimento, séries, repetições e variável a ser analisada. Os estudos incluídos foram avaliados quanto a qualidade pela escala PEDro. Resultados: Foram encontrados 432 artigos, sendo excluídos 29 duplicados. Após a leitura dos resumos, restaram 44 para a leitura completa. Por fim, ficaram 4 artigos e, após a leitura das referências, foi incluído mais um, totalizando 5 artigos para a análise. Os artigos selecionados somaram 195 sujeitos nas modalidades de futebol, luta, tênis, ginástica, remo e futebol de paradesportistas. Os protocolos apresentaram heterogeneidade entre si, porém foi possível identificar parâmetros semelhantes: todos analisaram os movimentos de flexão e extensão concentricamente através do pico de torque; a velocidade angular de 60°/s foi utilizada em quatro estudos; sendo que três deles fizeram uma série de cinco repetições. A qualidade dos estudos segundo a escala PEDro foi de 5 pontos para um estudo, 4 pontos para outro e 3 pontos para os demais. Conclusão: Existe um número limitado de estudos que utilizaram a avaliação isocinética de tronco em atletas. Os estudos identificados por esta revisão tiveram limitações quanto a qualidade. Embora tenha sido possível identificar similaridades nos parâmetros, há a necessidade da realização de estudos melhor elaborados metodologicamente e que avaliem a reprodutibilidade dos protocolos.

Palavras-chave (máximo 3)

dinamômetro de força muscular; tronco; atletas

Área

Biomecânica

Autores

JAISSON AGNE ESTRAZULAS, JANSEN ATIER ESTRAZULAS, KELLY DE JESUS, KARLA DE JESUS, RUBENS A. DA SILVA, JOÃO OTACILIO LIBARDONI DOS SANTOS