IX Congresso Brasileiro e VII Congresso Internacional da Sociedade Nacional de Fisioterapia Esportiva e da Atividade Física

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Epidemiologia e fatores associados a lesões musculoesqueléticas relacionadas ao CrossFit: um estudo transversal

Resumo (máximo 3000 caracteres com espaço)

Introdução: O CrossFit® é um programa de condicionamento e força cuja popularidade cresceu rapidamente entre a população fisicamente ativa. Os Crossfitters (praticantes) podem estar predispostos a lesões devido à natureza dos exercícios de alta intensidade com pouco tempo de recupeção. Objetivos: Determinar a prevalência de lesões musculoesqueléticas relacionadas ao CrossFit; e identificar potenciais fatores associados. Métodos: Um estudo transversal aprovado pelo comitê de ética em pesquisa da Universidade Federal do Ceará foi realizado com 413 CrossFitters entre maio e outubro de 2017 em 10 centros de treinamento (n=191) e em duas competições (n=200) no município de Fortaleza, Ceará, Brasil. Os participantes preencheram um questionário contendo dados pessoais, características de treinamento e histórico de lesão nos últimos 12 meses. Foram investigadas 13 variáveis como potenciais fatores associados a lesão: sexo, idade, altura, peso, escolaridade, acompanhamento por professional de saúde, tempo de prática (experiência), frequência semanal e duração do treino, participação em competições, uso de anabolizantes, and intervenção fisioterapêutica regular. Os dados foram analisados no programa SPSS (Statistical Package for the Social Sciences Inc., Chicago, IL, EUA) com estatística descritiva e modelos de regressão logística multivariada (α = 0,05). Resultados: O presente estudo encontrou uma prevalência de 24,0% de lesões musculoesqueléticas relacionadas ao CrossFit nos últimos 12 meses; e as regiões do corpo mais acometidas foram a coluna lombar (33,3%), ombros (31,3%) e joelhos (14,1%). As variáveis individuais (idade, sexo, altura, peso e IMC) foram semelhantes entre os dois grupos (com e sem lesão). A maioria dos CrossFitters participou de competições (74,6%), tinha mais de 12 meses de experiência em CrossFit® (62,7%) e treinou até 90 minutos por dia (82,3%) com uma frequência superior a 4 dias por semana (76,8%). Houve uma colinearidade entre participação em competições com a duração e frequência semanal de treinamento; os competidores treinavam com mais frequência por semana (χ2 = 43,85 / p = 0,001) e participavam de sessões de treino mais longas (χ2 = 39,84 / p = 0,001) quando comparados aos não competidores. As variáveis que apresentaram associação significativa com as lesões musculoesqueléticas relacionadas ao CrossFit® foram frequência de treinamento semanal (OR = 2,25; IC95% = 1,13-4,48) e atendimento fisioterapêutico regular (OR = 1,85; IC95% = 1,11-3,07). Conclusão: A prevalência de lesão musculoesquelética foi de 24,0%, sendo as regiões do corpo mais acometidas a coluna lombar, ombros e joelhos. Treinar mais de quatro dias por semana e não receber cuidados fisioterapêuticos regulares foram associados a mais lesões musculoesqueléticas relacionadas ao CrossFit.

Palavras-chave (máximo 3)

epidemiologia, prevalência, lesões esportivas

Área

Epidemiologia

Autores

Bruno Araújo Ferreira, Mateus Bastos de Souza, Tailândia Viana Sampaio, Gabriel Peixoto Leão Almeida, Rodrigo Ribeiro de Oliveira, Pedro Olavo de Paula Lima