IX Congresso Brasileiro e VII Congresso Internacional da Sociedade Nacional de Fisioterapia Esportiva e da Atividade Física

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Y – Balance Test após Reconstrução do LCA: relação com força de joelho, quadril, equilíbrio e amplitude de movimento de dorsiflexão.

Resumo (máximo 3000 caracteres com espaço)

Introdução: Testes que identifiquem déficits da função do membro inferior em indivíduos que realizaram cirurgia de reconstrução do ligamento cruzado anterior (R-LCA) podem ajudar no processo de reabilitação. Y Balance Test (YBT) avalia a estabilidade postural dinâmica unipodal, mensurando os alcances do membro inferior nas direções anterior, posterolateral, posteromedial e composite. Sua aplicação é corroborada por evidências científicas que apontam validade preditiva para lesões sem contato e correlação com variáveis biomecânicas do membro inferior, como forças musculares de joelho e quadril, que podem influenciar no desempenho desse teste. Outras evidências confrontam a validade do YBT colocando que esse não apresenta correlação com outros testes que avaliam o mesmo constructo. Dessa forma, fazem-se necessários estudos que verifiquem a relevância do YBT em pacientes com R-LCA. Objetivos: Investigar a relação dos alcances no YBT com variáveis funcionais (força muscular de extensão e flexão do joelho, força muscular do quadril, amplitude de movimento do tornozelo e estabilidade postural) em pacientes com R-LCA. Métodos: Foi realizado um estudo transversal com 59 participantes que realizaram R-LCA há, no mínimo, 6 meses e sem outras lesões ligamentares associadas. Conduzido no Laboratório de Análise do Movimento Humano da Universidade Federal do Ceará (UFC) durante o período de março a outubro de 2017 e aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da UFC com o parecer (1.000.404). Força muscular de extensão e flexão do joelho foi mensurada com dinamômetro isocinético, protocolo com velocidade angular de 60°/segundo, força do quadril com Hip Stability Isometric Test (HipSIT), amplitude de movimento de dorsiflexão do tornozelo com weight-bearing Lunge test, estabilidade postural foi avaliada com YBT e com índices de estabilidade do Biodex Balance System® (IS-BBS). A relação entre a variável dependente (alcances no YBT) e variáveis independentes (força muscular, amplitude de tornozelo e estabilidade postural), foi analisada por regressão linear multivariada, com método de eliminação por etapas Backward identificando um grupo de variáveis associadas ao desempenho de cada alcance do YBT. Resultados: Força de extensão do joelho e amplitude de movimento de dorsiflexão foram associadas ao alcance anterior (R2= 30,7) e composite (R2= 26,0), o alcance posterolateral foi associado à força de extensão do joelho (R2= 19,0), força de flexão do joelho foi associada ao alcance posteromedial (R2= 13,0). Os índices de estabilidade do BBS e a força de quadril não foram associados ao YBT. Conclusão: O desempenho no YBT para o membro lesionado de indivíduos após a R-LCA está associado às forças da musculatura extensora e flexora do joelho e à amplitude de movimento de dorsiflexão do tornozelo. Déficits dessas variáveis devem ser considerados para definir qual a melhor estratégia de intervenção visando à melhora da estabilidade postural dinâmica.

Palavras-chave (máximo 3)

Equilíbrio Postural; Reconstrução do Ligamento Cruzado Anterior; Joelho

Área

Biomecânica

Autores

Carlos Augusto Silva Rodrigues, Thamyla Rocha Albano, Antonio Kayro Pereira Melo, Maria Larissa Azevedo Tavares, Pedro Olavo de Paula Lima, Gabriel Peixoto Leão Almeida