IX Congresso Brasileiro e VII Congresso Internacional da Sociedade Nacional de Fisioterapia Esportiva e da Atividade Física

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Tradução, adaptação transcultural e propriedades de medida da versão em português Brasileiro do questionário Victorian Institute of Sport Assessment – Hamstring (VISA-H)

Resumo (máximo 3000 caracteres com espaço)

Introdução: A Tendinopatia Proximal de Isquiotibiais (TPI) é uma condição clínica que geralmente acomete atletas de corrida, apresentando incidência anual de 7,3% e prevalência de 12,5%. É caracterizada por dor profunda na inserção proximal do tendão com incapacidade ou limitações à vida diária e prática esportiva, piorando com a contração excêntrica repetida. Nesse contexto, Escalas e questionários são instrumentos importantes para a pesquisa e prática clínica, por isso o Victorian Institute of Sport (Melbourne, Austrália) desenvolveu um questionário capaz de avaliar os sintomas e limitações funcionais relacionadas à esta condição. Entretanto, para ser usado no contexto clínico ou de pesquisa para avaliar indivíduos de outros países, o instrumento deve ser traduzido, adaptado culturalmente e validado na nova versão. Objetivos: Traduzir, adaptar culturalmente e determinar as propriedades de medida da versão brasileira do questionário VISA-H para indivíduos com TPI e assintomáticos. Métodos: O processo de tradução e adaptação foi autorizado pelo autor do questionário original (Dr. Nicola Maffulli) e seguiu as recomendações estabelecidas por diretrizes internacionais, compostas de 6 fases (tradução, síntese, retrotradução, lista Delphi, pré-teste, versão final). Após as traduções e retrotraduções, as versões obtidas foram revisadas por um comitê de experts, composto por fisioterapeutas especialistas de todas as regiões do Brasil para estabelecer um consenso, que foi aplicada em 25 participantes para verificar possíveis dificuldades na compreensão. Por fim, a versão final foi aplicada em 70 participantes, 50 no grupo assintomático (54% mulheres, idade média de 25,6±6,9 e IMC=28,3±27,6) e 20 no grupo sintomático (40% mulheres, idade média de 37,6±11,2 e IMC=24,7±4,1), e responderam as versões brasileiras da Escala Funcional de Extremidade Inferior (LEFS) e do VISA-H. A confiabilidade teste-reteste, consistência interna e validade de construto foram medidas usando o coeficiente de correlação intraclasse (CCI), alfa de Cronbach e correlação de Spearman, respectivamente (α=0,05), o efeito teto e chão também foi analisado. Resultados: O questionário foi traduzido com sucesso, adaptado culturalmente e nomeado como VISA-H-Br, após a aplicação do piloto, foi elaborado um enunciado e inserido uma figura para melhor entendimento do objetivo do instrumento, melhor identificação da região e houveram mudanças de termos das questões 4 a 6. O VISA-H-Br apresentou alta consistência interna (Cronbach α=0,95), excelente confiabilidade (CCI=0,89 IC95% 0,74-0,95) e boa validade de construto (rho=0,69, p<0,01 em relação ao LEFS). Não foram detectados efeitos de teto e chão para o VISA-H-Br. Conclusão: A versão brasileira do VISA-H-Br é consistente, confiável e válida podendo ser utilizada na prática clínica ou na pesquisa para avaliar a dor e a incapacidade em pacientes com tendinopatia proximal dos isquiotibiais.

Palavras-chave (máximo 3)

Tendinopatia;
Isquiossurais;
Questionário

Área

Retorno ao Esporte

Autores

Bianca Martins Lourenço, Lucas Valentim de Freitas, Thamiris Silva Nazareno, Rodrigo Ribeiro de Oliveira, Pedro Olavo de Paula Lima